O  sono e o sistema imunitário

2020-06-05

O sono e o sistema imunitário

Na Molaflex, somos adeptos de boas noites de sono. E não nos faltam motivos para isso: sabem sempre bem, trazem-nos energia e ânimo, boas ideias, e fazem maravilhas pela saúde!

Como podemos não ficar fãs? Neste artigo, vamos abordar os benefícios que uma boa rotina de sono traz à saúde, em particular do sono e do sistema imunitário.

Conhece a ciência do Sistema Imunitário?

Para compreendermos melhor o sono e o sistema imunitário, é útil pensarmos numa batalha. Primeiro, temos os “soldados” que vão à frente e a postos para lutar contra o inimigo (isto é, vírus, bactérias e outros agentes) – estes “soldados” são as células T, glóbulos brancos. E, depois, temos os responsáveis pela estratégia e comando destes “soldados”. As citocinas.

Sem uma rotina de sono saudável, o nosso corpo não consegue produzir células T e citocinas suficientes para ganhar todas as “batalhas” diárias.

Numa investigação sobre como é que o número de glóbulos brancos se desenvolve sob privação de sono, descobriu-se isto mesmo. No estudo, os grupos que dormiram apenas 4 horas em vez de 8 horas sofreram uma redução na proporção das suas células T naturais em 70%!

Ainda não está convencido da relação entre o sono e o sistema imunitário? A National Sleep Foundation afirma que perder horas de sono de forma regular torna a vacina contra a gripe menos eficaz!

 

E não é só o seu sistema imunitário que ganha...

Todos nós nos sentimos mais bem-dispostos e cheios de energia depois de uma noite bem dormida (ainda melhor depois de uma série delas, não é?). E há boas razões para isso.

O sono regula a produção de hormonas, a pressão arterial, circulação sanguínea… o que significa que o seu humor, energia, concentração e vitalidade vão agradecer-lhe por aquelas oito horas de descanso.

Além disso, quem leva o sono a sério tem menos problemas de saúde como doenças cardíacas, diabetes e obesidade, depressão e ansiedade, e muitos outros.

Afinal, quantas horas por dia devemos dormir?

A Organização Mundial de Saúde não tem dúvidas: a maioria de nós precisa de sete a nove horas de sono todos os dias.

E qual é a hora ideal para irmos para a cama ou para nos levantarmos? Neste ponto, já não temos recomendações. “Ouvir o nosso corpo” é sempre uma boa ideia. Cada um de nós tem um relógio biológico interno (o ritmo circadiano) que é acertado continuamente pelo ciclo dia-noite. E cada um dos nossos relógios funciona de forma diferente. Por isso, não é de espantar a existência de madrugadores ou de pessoas que preferem acordar tarde.

 

Nem a contar carneirinhos consegue dormir 7 a 9h por noite?

Como já falamos, o nosso relógio biológico interno (controlado por uma hormona chamada melatonina) é regulado pela luz. Durante o dia, “informa” o nosso cérebro que é dia e que este se deve mantar atento e alerta. Já à noite, é hora do relaxamento e descanso.

Assim, é fácil perceber que a luz de aparelhos como telemóveis e televisões pode desestabilizar o funcionamento do nosso relógio interno e cérebro e, dessa forma, mexer com o nosso sono.

A regra de ouro para manter o seu sono e sistema imunitário em forma (e não precisar de contar carneirinhos) é não desacertar o nosso relógio interno. Durante o dia, devemos “absorver” toda a luz que pudermos e, à noite, deixar o nosso cérebro descansar. Além disso, podemos também:

  • dormir num quarto fresco e arejado
  • adotar uma rotina de relaxamento antes de ir para a cama (nós sugerimos um chá, um banho quente e um bom livro 😊 )
  • comprometermo-nos com um estilo de vida saudável, que todos conhecemos em teoria: evitar o álcool e o tabaco, fazer uma alimentação completa e equilibrada, e fazer um pouco de exercício todos os dias.

Espreite aqui o Guia Molaflex para um Sono Saudável.

 

Nota: as alterações recentes às nossas rotinas e as preocupações com a circunstância deixaram muitos de nós com problemas de sono. Descubra aqui como dormir com qualidade na quarentena.

Deixe o seu comentário!