O matcha é o novo café?

2021-07-29

O matcha é o novo café?

O matcha tem ganho cada vez mais popularidade nos últimos anos. Há quem tenha posto o café completamente de parte da sua rotina e que já não pense voltar atrás. Com tantos novos adeptos desta bebida, abre-se espaço para a seguinte pergunta: Estaremos a entrar numa época em que o matcha se tornou o novo café? Os adeptos apontam que os motivos para esta substituição devem-se sobretudo aos benefícios nutricionais e de bem-estar que proporciona às pessoas que o consomem. Mas, afinal, o que é o matcha? E o que o distingue do café?

O matcha é um chá verde japonês feito a partir das folhas mais jovens da planta Camellia Sinensis, que são protegidas do sol durante o seu crescimento e posteriormente moídas para serem convertidas em pó. Este processo resulta numa maior concentração de cafeína, teanina e clorofila, proporcionando uma maior quantidade de antioxidantes para o organismo.

É mais nutritivo

O facto de as folhas serem moídas na sua totalidade, faz com que se mantenham todos os nutrientes presentes nessa parte da planta. Aí reside também a principal diferença entre o matcha e o chá verde em saquetas. Enquanto o primeiro conserva o seu valor nutricional na totalidade, o segundo tem 10x menos nutrientes que o matcha.

Dá mais energia

No que toca a energia, vários consumidores constatam que o café apenas lhes dá um pico de energia temporário, enquanto o matcha oferece um aumento de energia sustentado, aproximadamente de 6h, ao mesmo tempo que não provoca a ansiedade típica da cafeína do café mas mantém a pessoa alerta e concentrada. Isso acontece porque o matcha possui um aminoácido muito poderoso (L-teanina) que ajuda o corpo a absorver de forma diferente a cafeína, ao mesmo tempo que possui um efeito calmante, reduzindo a frequência cardíaca e pressão arterial.

Faz bem ao corpo

Os benefícios do matcha vão além de um simples substituto do café com mais nutrientes. Ele possui propriedades antibióticas que promovem a saúde em geral e que estimulam o sistema imunológico. Por ser altamente oxidante, ajuda a estimular o metabolismo, contribuindo para a redução da acumulação de gorduras no fígado, favorecendo a perda de peso.

Estas são algumas das vantagens do consumo deste novo “superalimento” e, apesar de haver fãs de café que não o troquem por nada, já conseguiu conquistar muitas pessoas. Era capaz de fazer esta substituição ou também se mantém fiel ao energético mais clássico?

Deixe o seu comentário!