Do berço para a cama: como e quando o fazer

2019-12-26

Do berço para a cama: como e quando o fazer

Se chegou até este artigo é porque precisa de ajuda. Nós sabemos, a mudança do berço para a cama pode ser um “problema”. Contudo, não pense nisso como problema, encare antes como uma conquista. E porquê? Por que quer dizer que o seu filho está a crescer e dar os primeiros passos de “crescido” da sua infância.

Dito isto, saiba como e quando fazer esta transição. Torne a experiência do berço para a cama, um momento de satisfação e orgulho parental.

Do berço para a cama: um pequeno passo para si, um grande passo para os seus filhos

Na verdade, não existe uma regra ou altura própria para fazer esta mudança. Contudo, quando a decidir fazer, prepare o seu filho, e se este já tiver idade suficiente, deixe-o fazer parte do processo: escolher o que quer na cama nova, as cores, quais os peluches, onde ele a quer colocar, etc. Assim, vai interiorizando a mudança e vai sentir-se mais à vontade com todo este novo mundo.

Por outras palavras, deixe que o seu filho lhe indique o caminho da mudança. Deixe-o viver esta nova aventura ao seu ritmo. Por que no fundo, quando estiver a viver este momento, significa que lhe quer dar mais autonomia, responsabilidade e está a encaminhá-lo para um mundo só dele.

Com efeito, vejamos então algumas dicas que pode seguir quando sentir que chegou o momento ideal para fazer esta transição do berço para a cama. Por outro lado, se está a passar por este momento, tire notas, podem-lhe ser úteis!

Do berço para a cama: 10 dicas para fazer a transição

1 - Converse com o seu filho

Que tal uma história de um/a príncipe/princesa que cresceu e vai mudar do berço para a cama? Nada como uma boa conversa ou história para abordar e explicar esta mudança. É fundamental que o seu filho perceba a importância desta alteração. Ao explicar abertamente o assunto está a permitir que a criança se despeça do seu berço e esteja com expectativa sobre o seu novo local para dormir. Um novo mundo, com novas aventuras e desafios.

Assim, este primeiro ponto acaba por coincidir com o que referimos em cima, ao ter esta conversa mostra preocupação, está a valorizar o crescimento e a incentivar o desenvolvimento. No fundo, acaba por deixá-lo entrar no mundo por sua livre vontade.

2 - Partilhe o momento

Deixe o seu filho fazer parte deste momento. Afinal de contas, é uma mudança que está diretamente ligada ao seu processo de crescimento, conforto e autonomia.

Pode, por exemplo, pedir ajuda na escolha da nova cama, dos seus acessórios, qual o tipo de cama que quer, que brinquedos vão também fazer parte deste novo espaço, etc.

Uma boa forma de dar brilho e aproveitar este momento é fazer uma festa: enfeitar o quarto com balões, fitas, fazer algo verdadeiramente mágico.

3 - Não há volta a dar

Um erro muito comum é colocar a cama ao lado do berço e esperar que o seu filho esteja pronto para ir para a nova cama por sua livre vontade. Se pensarmos bem, acaba por dar a ideia de que nós próprios também não queremos que a mudança aconteça.

Assim, uns dos primeiros passos a dar é colocar somente a nova cama no quarto. Tem sim, é de criar o ambiente perfeito para que o seu filho se habitue ao novo quarto.

Contudo, é importante saber que podem existir dificuldades. Acompanhá-lo sempre que necessário, explicar medos e que estará presente quando precisar.

4 - A sua cama não é uma solução

Acreditamos que no inicio seja frequente que o seu filho o acorde e procure o seu conforto. Uma solução para isso é estabelecer um dia da semana para dormir com ele até que adormeça. Assim, e aos poucos, vai conseguindo com que este se habitue e se sinta confortável.

Adote um comportamento responsável e não ceda. Vai ser difícil, mas no final desta mudança, vai contar com mais uma etapa do desenvolvimento conquistada.

5 - Idade ideal para a mudança

Não existe uma idade ideal para a mudança do berço para a cama. O nosso melhor conselho é que respeite o tempo do seu filho. E talvez seja essa uma das principais dicas desta lista. Não tente forçar essa transição. Mas como saber que chegou essa altura? Lembra-se do primeiro ponto? Exatamente. Fale sobre a ideia e tente perceber qual a reação.

6 - Criar uma rotina

Que tal começar uma rotina? Até esta mudança estar totalmente “implementada”, conte uma história todas as noites, faça companhia até à hora de adormecer, o importante é garantir que com o passar do tempo, consiga criar a autonomia ideal para ser uma mudança sem problemas ou sobressaltos.

7 - Tenha paciência

No início, como tudo é novidade, vale a pena ceder em pequenas coisas. Existem pequenos comportamentos que podem suavizar esta mudança: a luz ambiente, deixar a porta aberta, a sua presença, etc. Evite os choros, sermões ou “gritos”. São exatamente esse tipo de comportamentos que não contribuem em nada para esta mudança.

8 - Segurança acima de tudo

Antes de fazer a transição, assegure-se de que o quarto não tem nenhum objeto perigoso, medicamentos à mão ou janelas e portas abertas. Acima de tudo, não se esqueça de preparar esta mudança com cuidado total.

 

Ainda sobre segurança, muitos pais também adotam o método Montessori, baseado na independência máxima da criança. Este método pressupõe um quarto funcional, com tudo o que é necessário para um desenvolvimento cognitivo e social independente.

Com efeito, se tiver os cuidados necessários, acreditamos que será capaz de montar um quarto e uma nova cama totalmente seguros.

9 - Esteja sempre por perto

Nos primeiros tempos, acompanhe todo este processo. Antes da hora de ir dormir, esteja presente, e se possível, adote uma das dicas que já referimos (a dica 6).

10 - Não tranque as portas

Pode parecer uma medida “extremista”, mas a verdade é que muitos pais tomam esta decisão. Só faz aumentar a insegurança e torna ainda mais “aterradora” esta mudança. Por isso, mesmo que exija muita paciência, esta transição faz parte e deve ser encarada de uma forma natural para que o seu filho se sinta bem.

Preparado para realizar a transição do berço para a cama?

Depois destas dicas, esperamos que consiga fazer esta mudança da forma mais natural possível. Lembre-se sempre, o seu filho é o seu maior aliado.

 

Deixe o seu comentário!