Como é que a luz azul afeta o sono?

2021-11-05

Como é que a luz azul afeta o sono?

As férias terminaram e as vistas deixaram de ser a praia e o mar para passarem a ser telas de ecrã de computadores, tablets, etc. Com o regresso às aulas e ao trabalho, passamos inevitavelmente mais tempo em frente a dispositivos eletrónicos, que emitem luzes que interferem com os ciclos do sono. Mas afinal, como é que a luz azul afeta o sono? 

 

O que é luz azul?

Podemos dizer de uma forma muito simplista que a luz azul é composta por radiação eletromagnética. Isto é, contém uma espécie de luz invisível, a mesma que os nossos olhos usam para interpretar as cores, segundo a quantidade de energia que emitem. Pense num arco-íris, nele encontra todo o espectro de luz visível. Já a luz branca, como a do sol, é a combinação de todas as cores desse espectro de luz. A luz azul, que pertence a esse espectro, pode interferir com o nosso estado de alerta, produção de hormonas e com os ciclos de sono.

 

Onde a luz azul está presente?

A luz azul está presente em várias fontes de iluminação e dispositivos eletrónicos como: luzes fluorescentes, LED’s, smartphones, televisões, ecrãs de computadores, E-readers, tablets e até consolas de videojogos são alguns exemplos.

 

Como a luz azul afeta o sono?

Os ritmos circadianos são uma função natural e biológica que regula o estado de alerta e os ciclos de sono de diversos seres vivos. E um dos fatores que mais importância tem na regulação dos ritmos circadianos é precisamente a luz. Durante o dia, o sol (também uma fonte de luz azul), é responsável por nos fazer sentir despertos e alerta, aumentando a temperatura corporal e os batimentos cardíacos e alinhando os ritmos circadianos para que o corpo tenha uma boa noite de sono quando o dia terminar. Mas com a invenção da luz artificial e dos dispositivos eletrónicos, estamos cada vez mais expostos a este tipo de estímulos, mesmo até na hora de dormir. A luz azul é a luz que mais impacto tem no sono de todas as luzes visíveis e isso pode levar a sérios distúrbios no sono.

A excessiva exposição à luz azul também suprime a produção de melatonina, a hormona responsável por nos fazer sentir sonolentos. Por isso é tão importante desligar ou não estar em contacto com aparelhos eletrónicos antes de dormir, uma vez que esta luz pode enganar o cérebro e fazê-lo sentir desperto em vez de cansado.

Estes efeitos podem causar problemas de saúde graves como distúrbios no metabolismo e na condição da sua saúde mental, como por exemplo depressões.

 

Como evitar a luz azul?

  1. 1. Ponha um alarme para desligar os aparelhos eletrónicos 2/3 horas antes de dormir.
  2. 2. Troque as lâmpadas LED ou fluorescentes por outras que não emitam luz azul. As lâmpadas mais amarelas e alaranjadas funcionam na perfeição, tal como a luz natural das velas.
  3. 3. Coloque os seus dispositivos móveis no modo noite. Muitos smartphones, tablets e computadores incluem uma opção para reduzir a emissão de luz azul.
  4. 4. Se for impossível evitar a luz artificial no ambiente onde dorme, opte por colocar uma venda/ máscara de olhos para dormir.

Deixe o seu comentário!